Informativo On-line

SINFACRS promove reunião online com as Securitizadoras

O Sindicato das Sociedades de Fomento Comercial – Factoring do Estado do Rio Grande do Sul (SINFAC RS) promoveu na tarde desta terça-feira, dia 13 de abril, a partir das 14 horas, o encontro online com os empresários de Securitizadoras. Entre as pautas da reunião estavam as projeções econômicas na pandemia e pós pandemia, além de informações econômicas e o futuro do setor.

O Presidente do SINFAC RS, o empresário, Dr. Marcio Aguilar, abriu o evento explicando que reuniões como essa tem “a finalidade de congregar um pouco das notícias do setor, fazer com que vocês, empresários, tenham um fluxo de convívio, permitindo a otimização do relacionamento, troca de sensações, de elementos que são significativos e necessários para a avaliação de crédito. Estamos vivendo o ano de 2021 uma consequência, não mais imaginada, evidentemente, porque nós acreditávamos que, nesse período, a pandemia seria um fato ultrapassado”.

Sobre a liquidez do ano passado e deste, Dr. Aguilar, avaliou que “2020 foi um ano balizado pelo excesso de liquidez, em função do PESE, do Pronampe, do PEAC, que foram programas emergenciais, através, evidentemente, do fomento das famílias com o coronavoucher. Em 2021 esse excesso de liquidez não é a realidade presente, ao contrário, o sistema de liquidez bancária segura bastante as taxas, que estão gradativamente se elevando e o risco que se apresenta hoje no sistema financeiro é o risco da inadimplência. Você performa o título agora, mas terá a liquidez dele daqui a 30, 60, 90 dias”.

O Presidente contextualizou esse novo cenário que todos estão vivendo e apontou que no ano de 2020 o problema apresentado não foi a inadimplência, mas a falta de operações. Diferente do que pode acontecer este ano de 2021, onde “podemos ter alguma perda, mas não falta de documento, porque, as empresas precisarão fazer frente aos seus compromissos, em especial aos programas contraídos no ano passado”. Segundo a sua avaliação, “esse é um cenário um pouco preocupante, não pela falta de documento, mas pela incerteza do retorno do ativo. Taxa de juros do setor gradativamente evoluindo, ela está subindo porque os nossos balizadores estão aumentando a questão do risco. Não consigo ver taxa baixa com risco alto. Não será uma subida exponencial, mas será gradativa”.

Neste momento, a pedido do Presidente do SINFAC RS, os empresários participaram, abrindo os seus microfones e câmeras de vídeo para interagirem da reunião de forma efetiva, fazendo as suas ponderações, as suas considerações, avaliações e relatos dos anseios e das preocupações que envolvem as suas operações nesse cenário atual.

Já encaminhando para os minutos finais da reunião, o Presidente passou a palavra ao Diretor Sindical, Sr. Gilberto Bavaresco, que pediu para o Associado, o Sr. Maurício Ambrósio, um dos mais antigos operadores do Fomento, a expressar a sua opinião sobre tudo o que foi dito no encontro.
“Eu tive que chamar o meu filho Maurício, para acompanhar isso que vocês estão falando de novidades, de plataformas, porque quando cursei Economia na Unisinos, a gente falava, em 1984, o que fazer com o homem no ano 2000... era uma preocupação nossa na faculdade. Então, o homem está aí, meio perdido daquela época, mas estamos aqui e precisamos atravessar isso tudo vivos. É uma satisfação ouvir pessoas mais jovens que estão na luta. Tivemos o governo sempre meio contra nós, principalmente, no direito de regresso, que era muito comentado. Naquela época só se falava em direito de regresso, hoje já passou, isso em função da luta de vocês todos. Agradeço a todos e que tenhamos um novo recomeço breve, após a vacinação, e que Deus nos dê o norte como deu a anos atrás. Muito obrigado a todos”, declarou o Associado Ambrósio.

Para o Presidente, Dr. Aguilar, “todos nós, de uma forma ou de outra, tivemos crises de preocupação, de ansiedade, de incertezas, que é natural de quem empreende, é natural de quem tem uma responsabilidade grande com o seu investidor, com os seus colaboradores, com o mercado propriamente dito. Tantas empresas deixaram de ser fomentadas, tantas empresas desapareceram nesse período. Como forma de ajudar os empresários, no ano passado eu me especializei nos programas de acesso ao crédito e utilizei o sindicato como um comunicador para dar orientações ao micro e pequeno empreendedor”. Ainda, ao final, ele deixou palavras de ânimo aos mais de 30 participantes presentes no encontro: “tenho a satisfação de encontrar todos vocês com saúde, quem já está imunizado parabéns, aos senhores que não estão imunizados, cuidem-se. Só existe um formato de você não se contagiar, é seguir os protocolos. Pensem em si, pensem na família. A gente precisa passar dessa fase, para continuar tocando os nossos negócios”.